magnetismo

Todos os dias, desde que aqui reencarnamos, mesmo a partir da experiência uterina, estamos todos interagindo com os nossos semelhantes, com o meio ambiente e porque não dizer, com o Universo todo. Na verdade, a partir do momento em que existimos, estamos conectados à tudo e à todos e as nossas ações terão as suas correspondências em algum ponto destas conexões.

Pois bem, essas ações naturalmente têm reflexos tanto nas outras pessoas quanto no meio ambiente, como também no Universo. E quais seriam esses reflexos? E se pudéssemos ver com nossos olhos humanos as consequências de nossas ações? Como seria?

InterconectividadeSegundo a Lei da Interconectividade, estabelecida pela Física Quântica, tudo está conectado, ou interconectado, tudo realmente, absolutamente tudo! Mas como que isso ocorre? E de que forma? Vejamos por exemplo o que neste momento eu próprio estou fazendo: a minha ação de escrever para logo em seguida publicar este conteúdo. Qual será a consequência desta ação? Para mim e para aqueles que porventura vierem a ler esse texto?

Agora mais duas questões que eu entendo serem importantíssimas:

  1. Qual a importância de sabermos que estamos todos conectados, incluindo absolutamente tudo?
  2. Esse conhecimento pode nos ajudar de alguma forma?

Vamos começar falando sobre as pessoas que encontramos todos os dias. Qualquer encontro, na rua, no mercado, na escola ou qualquer outro lugar. Com algumas vamos estabelecer algum contato rápido e desinteressante, talvez. Com outras, contatos mais demorados e dignos de nota, ou seja, relevantes. E haverá em alguns casos contatos extremamente importantes e que deixarão uma impressão sólida e marcante – positiva ou negativa – que permanecerão conosco por muito tempo, a depender do modo como cultivarmos esses contatos.

Estamos falando de simpatias e afinidades. Há pessoas que serão atraídas até nós (ou nós até elas) simplesmente por uma lei muito antiga e conhecida sob o nome de Magnetismo, que está presente em tudo, em todos e no Universo todo, também.

Os Espíritos que orientaram Allan Kardec na Codificação de O Livro dos Espíritos, disseram, respondendo à questão 388, que estes encontros ocorrem pois que os seres pensantes têm ligação e que o magnetismo é o piloto desta ciência, ou seja, a lei de afinidade é capaz de atrair uns e outros pela força magnética entre os seres, sejam estes encarnados ou desencarnados.

InterconectividadeEntão meus queridos amigos, a partir deste entendimento, devo lhes dizer que é por afinidade que eu estou aqui escrevendo este texto, e em breve, você (querido leitor) estará lendo este despretensioso conteúdo. E por que? Porque além de estarmos todos conectados, como dissemos anteriormente, elegemos algo em comum: o Espiritismo. Estamos na mesma estação, eu na emissora e você na receptora. Não é uma maravilha?

Agora vejamos como a ciência comprova essa tese ou como a ciência prova a lei da interconectividade.

Na sua obra Família, Desafios e Realizações, Moacir C. de Araújo Lima, Físico e Conferencista Internacional nas áreas de Espiritualidade e Ciência, nos traz já no terceiro item – Interconectividade, a grande lei – três relatos de experiências que evidenciam a Lei da Interconectividade. Vamos destacar apenas uma delas, como segue:

  1. Duas pessoas que se conheceram brevemente são colocadas em salas separadas, com suas cabeças ligadas a pet scanners (aparelhos de tomografia computadorizada);
    1. Em algum momento uma pensa na outra, e vice-versa;
    2. De forma consciente nenhum participante registrou qualquer coisa;
    3. Encerrada a experiência, foi verificado que em cada momento em que um pensava no outro, as ondas cerebrais daquele que era o alvo do pensamento, se alteravam;
    4. Desconectados e isolados de qualquer radiação, os participantes registraram, cada um, a energia que o outro lhe dirigira ao pensar.
    5. A conclusão é que somente a existência de mais de três dimensões espaciais, pode explicar como a radiação mental proveniente de uma das salas chegou até a outra.

Essa seja talvez a comprovação científica, por exemplo, para os casos em que mães ficam extremamente aflitas quando um filho passa por dificuldades ou momentos de perigo, longe delas. As alterações no campo magnético de um produzem alterações no campo magnético de outro, desde que ligados pela lei de afinidade.

magnetismoAgora vamos entender porque esse conhecimento é tão importante para todos nós. Se para cada ação nossa há uma consequência, mesmo que imperceptível, cabe-nos o entendimento que haverá também uma contrapartida que será diretamente proporcional ao que fizermos. Assim lembrando Jesus, quando nos exortou o conhecido “Orai e Vigiai”, devemos ter em conta todo o cuidado ao agirmos, pois que de alguma forma chegará à algum ponto o resultado da nossa ação e certamente virá deste ponto o retorno. Se a ação for benéfica, retornará algo de bom, ao mesmo tempo que se for maléfica, algo ruim virá, certamente, simples assim.

Por outro lado disseram também os Espíritos à Kardec que “as disposições morais se comunicam mui facilmente.” E o que isso significa? Justamente que é por afinidade que construímos ou destruímos conforme nossas intenções, os nossos relacionamentos. Nunca agimos sozinhos, pois ao meu desejo ou ensejo de algo realizar, junta-se a mim uma verdadeira multidão de entidades ora desencarnadas, interessadas no meu objetivo. Naturalmente conforme a qualidade do orbe que habitamos, haverá sempre um maior número, quando a ação for para o mal, sendo que para o bem, serão poucos a nos acompanhar. Daí a dificuldade para encetarmos grandes projetos objetivando o bem maior ou mesmo as nossas próprias aspirações pessoais com o intuito de nos melhorarmos.

Utilizando o magnetismo, estas entidades incorpóreas provocam desde crises nervosas até as convulsões mais graves, causando grande prejuízo à saúde daqueles que se permitem vincular pelo pensamento à mesma onda maléfica desses irmãos ainda escravos da ignorância. Por isso a grande importância de conhecermos não só as Leis que regem o Universo (as que são conhecidas), como também conhecermos a nós mesmos. Quais são as nossas fragilidades, as nossas fraquezas, que irão permitir a conexão direta com seres de mesmas características e que por isso conforme essas leis universais, estarão vibrando na mesma frequência, sendo naturalmente atraídos até nós ou nos atraindo até eles, onde poderão exercer intensa influência sobre nossa mente e nosso organismo físico, inclusive.

Sabedores dessas possibilidades também das probabilidades que a própria Física Quântica estabelece, poderemos nos proteger de forma mais inteligente, através de nossos próprios esforços, elegendo a quem ou a que nos conectar, evitando as “estações clandestinas”, verdadeiros canais maléficos e escravizadores das vidas humanas na Terra.

A melhor sintonia poderemos estabelecer através da prece e do contínuo esforço de bem pensar, excluindo, deletando ou desviando (se é que é possível desviar) os maus pensamentos, aqueles de revolta, de rancor, de ódio e que conforme a sua intensidade, acabam por nos prender justamente aos seres que gostaríamos de nos afastar. Se é necessário vigiar cada pensamento, o mesmo deve ocorrer com as nossas ações, que deverão estar pautadas pela boa conduta e avalizada por uma consciência tranquila que só quem se esforça de forma sincera na direção do bem, pode carregar consigo.

InterconectadosNeste grande Universo, nos encontramos todos imersos como que numa grande malha magnética, que mantém todos ligados entre si e ao próprio Universo. Cada ação terá sempre seu equilvante quântico destruidor ou mantenedor da harmonia universal, o que traduz perturbação ou paz na consciência individual. Façamos a nossa escolha, pois desequilibrar é fácil e representa a porta larga referida por Jesus, enquanto que todo o esforço para o equilíbrio, sempre será mais árduo, o que leva à porta estreita da libertação do espírito.

 

Referências Bibliográficas:

KARDEC, Allan – O Livro dos Espíritos, questões 388, 482 e 556

LIMA, Moacir Costa de Araújo – Família, Desafios e Realizações, item 3 – Interconectividade, a grande lei.

Siga-nos e curta nas redes sociais.
O MAGNETISMO E AS NOSSAS RELAÇÕES NO UNIVERSO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do Blog? Compartilhe!